quinta-feira, 3 de abril de 2008

Eu conheço esse POETA?

José Guilherme de Araújo Jorge


Esperança


Não! A gente não morre quando quer,
Inda quando as tristezas nos consomem.
Há sempre luz no olhar de uma mulher
E sangue oculto na intenção de um homem.


Mesmo que o tempo seja apenas dor
E da desilusão se fique prisioneiro.
Vai-se um amor? Depois vem outro amor
Talvez maior do que o primeiro.


Sonho que se afogou na baixa-mar,
De novo há de erguer, cheio de fé,
Que mesmo sem ninguém o suspeitar,
Volta a encher a maré.


Não penses que jamais hás de achar fundo
Nem que entre as tuas mãos não terás outra mão.
Pode a vida matar o sonho e o sol e o mundo,
Mas não nos mata o coração.


(Poesia de Maria Helena,– extraído do livro
Concerto a 4 mãos - de JG de Araujo Jorge - 1959 )


Vejamos um pouco de sua biografia:


Nasceu em 20 de maio de 1914, na Vila de Tarauacá, Estado do Acre. Filho de Salvador Augusto de Araújo Jorge e Zilda Tinoco de Araujo Jorge.

Descendente, pelo lado paterno de tradicional família alagoana, os Araujo Jorge, e pelo lado materno dos Tinocos, dos Caldas e dos Gonçalves, de Campos, Macaé, e S. Fidélis, Estado do Rio.

Passou sua infância no Acre, em Rio Branco, onde fez o curso primário no Grupo Escolar, 7 de Setembro. No Rio , realizou o curso secundário nos Colégios Anglo-Americano e Pedro II Colaborou desde menino na imprensa estudantis. Foi fundador e presidente da Academia de Letras do Internato Pedro II, dessa época, ainda ginasiano, sua primeira colaboração na imprensa adulta: em 1931 viu publicado o seu poema "Ri Palhaço, Ri" no "Correio da Manhã", depois transcrito no "Almanaque Bertand" de 1932.

Em 1932, No Externato Colégio Pedro II, em memorável certame, foi escolhido o " Príncipe dos Poetas", sendo saudado na festa por Coelho Neto, "Príncipe dos prosadores brasileiros" recebendo das mãos da poetisa Ana Amélia, Presidente da Casa do Estudante, como prêmio e homenagem, um livro ofertado por Adalberto Oliveira, então " Príncipe da Poesia Brasileira".

Com irrefreável vocação política, foi candidato a vários cargos públicos. Elegeu-se Deputado Federal em 1970 pela Guanabara, reelegendo-se já para o seu terceiro mandato em 1978 .

Ocupou a vice-liderança do MDB e a presidência da Comissão de Comunicação na Câmara dos Deputados.

Politicamente participou sempre das lutas anti-fascistas, como democrata e socialista. Lutou, ainda estudante, contra o "Estado Novo". Foi preso e perseguido várias vezes durante esse período . Deixou de ser orador de sua turma por estar detido na Vila Militar, sob as ordens do Gal. Newton Cavalcanti, durante todo "estado de guerra" de 1937.

Foi conhecido como o Poeta do Povo e da Mocidade, pela sua mensagem social e política e por sua obra lírica, impregnada de romantismo moderno, mas às vezes, dramático.

Foi um dos poetas mais lidos, e talvez por isto mesmo, o mais combatido do Brasil.

Faleceu em 27 de Janeiro de 1987.

8 comentários:

  1. rom�rio r�mulo03 abril, 2008 23:30

    izelda:
    estou retomando minhas caminhadas
    ao "c�rrego".
    um abra�o.
    rom�rio

    ResponderExcluir
  2. Seja sempre bem-vindo!!!

    Sua presença deixa a correnteza deste córrego cheio de alegria e versos.

    Grande e fraterno abraço.

    PAZ e LUZ sempre...

    ResponderExcluir
  3. Ah o Romério está aí e eu preciso de falar com ele...
    Izelda, esse poeta eu já conheço muito bem e precisamente este poema que acho uma maravilha.

    "...Pode a vida matar o sonho e o sol e o mundo,
    Mas não nos mata o coração."

    Um abraço e bom fim de semana.

    ResponderExcluir
  4. hola de nuevo, que bonito poema que tengas un buen fin de semana

    ResponderExcluir
  5. Minha querida Izelda, adorei o poema!
    SEmana muito feliz e em boa companhia.

    ResponderExcluir
  6. Hi again, see tthis is the site i told you i signed up to. It has some nice information about how to make money using OPP, i think you might find it interesting. here it is. bye!

    ResponderExcluir
  7. Oi, Izelda:

    Que lindo alento esta poesia do JG de Ara�jo Jorge.

    Estava com saudades daqui, perdoa o sumisso. � que �s vezes precisamos nos recolher para n�o contagiar os outros com nossa amargura, ainda mais sabendo que ela � passageira.

    Beijo

    Re

    ResponderExcluir
  8. Izelda, passei só para te desejar um bom fim de semana e deixar-te um abraço.

    É que só vou estar cá depois de amanhã.

    ResponderExcluir

 

blogger templates | Make Money Online

Clicky Web Analytics